34.6 C
Picos

Durante agenda na região de Picos, Rafael e Wellington enfrentam protesto de professores em Marcolândia

#

Durante todo o dia da última sexta-feira, dia 24 de junho, os pré-candidatos do Partido dos Trabalhadores a governador, Rafael Fonteles, e a senador, Wellington Dias, pré-candidatos pertencentes ao ‘Time do Povo’, estiveram cumprindo agenda em cidade da região de Picos.

A caravana que percorreu os municípios de Fronteiras, Caldeirão Grande, Simões e Vila Nova, em todos ele recebidos com muita festividade, na cidade de Marcolândia, a comitiva foi recepcionada por protestos de professores da rede estadual, que reivindica reajuste salarial.

Durante agenda na região de Picos, Rafael e Wellington enfrentam protesto de professores em Marcolândia

Na cidade de Marcolândia, os pré-candidatos do Partido dos Trabalhadores a governador, Rafael Fonteles, e a senador, Wellington Dias, eram aguardados por políticos da região, mas acabaram recepcionados pelo grupo de professores.

Durante agenda na região de Picos, Rafael e Wellington enfrentam protesto de professores em Marcolândia

Os manifestantes que se reuniram em uma praça em frente ao Clube Sonaj, local onde era realizado o evento petista, portavam cartazes em mãos e entoavam expressões como, “Time do Calote”, “Caloteiro” e “Governo sem compromisso, educação em greve”.

Durante agenda na região de Picos, Rafael e Wellington enfrentam protesto de professores em Marcolândia

A presidente regional do Sinte de Jaicós, Fatanilde Alves, disse que o movimento não é politico e sim por direitos refentes ao reajuste de 33,24%, conforme definido pelo Governo Federal, além de 12,84% relacionado ao ano de 2020 e 4,17% à 2019. “O nosso movimento é exclusivamente um só, a garantia dos nossos direitos. Nosso estado está com a educação falida, escolas sucateadas, falta transporte, falta merenda, falta professor e celetistas são explorados, está faltando praticamente tudo. Esse governo tem causado uma enorme desvalorização para nós, o dinheiro do Fundef, por exemplo, que é um direito nosso, até agora estamos sem respostas, não está sendo aplicado onde se deve, além disso, tem o reajuste da classe que não foi concedido, já são quatro anos de desvalorização.” Disse.

Durante agenda na região de Picos, Rafael e Wellington enfrentam protesto de professores em Marcolândia

Greve da educação no Piauí

Os professores da rede pública estadual, em greve desde 23 de fevereiro deste ano, cobram do executivo piauiense o reajuste de 33,24%, referente ao novo piso do magistério, nos vencimentos, além do rateio do precatório (R$ 1,6 bilhão) do antigo Fundo de Desenvolvimento do Ensino Fundamental (Fundef).

Ainda em dezembro do ano passado a Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi) aprovou um reajuste de 10%, proposto pelo então governador Wellington Dias (PT), para todos os servidores do Estado, incluindo os docentes.

Diante da resistência dos professores em aceitar a proposta, a gestão tentou uma última cartada: disponibilizar direto no vencimento 4,58% referentes ao auxílio-alimentação. Sob protestos de vários docentes, a matéria passou pelo crivo do parlamento estadual em março.

Durante agenda na região de Picos, Rafael e Wellington enfrentam protesto de professores em Marcolândia
Hyago Raphael
Hyago Raphaelhttps://www.infonewss.com
Colaborador do Portal Info Newss. Fotógrafo profissional e designer gráfico.
Veja também
Notícias relacionadas