18.5 C
Picos

Colegas políticos, governos, partidos e entidades lamentam morte da vereadora;

#

OAB-RJ exigiu apuração rigorosa. Membros de diferentes vertentes políticas do Rio divulgaram notas de pesar pela morte da vereadora do PSOL. Governo federal e Crivella se pronunciaram.

Marielle participou de um evento na Lapa antes do assassinato (Foto: Reprodução/Facebook)
Marielle participou de um evento na Lapa antes do assassinato (Foto: Reprodução/Facebook)

Políticos, governos e entidades divulgaram notas lamentando a morte da vereadora Marielle Franco (PSOL), assassinada a tiros no Centro do Rio na noite desta quarta-feira (14).

  • Marcelo Freixo, deputado estadual (PSOL)

“Não havia qualquer ameaça sobre ela. O (vereador) Tarcísio (Motta) convivia na câmara com ela. Eu tinha contato diário com a Marielle, ela trabalhou 10 anos na minha equipe, não tinha qualquer ameaça. A irmã dela está aqui com a gente. A gente vai cobrar com rigor, todas as características são características de execução. Evidente que vamos aguardar todas as conclusões da polícia, cabe a polícia fazer a investigação, mas a gente, evidentemente, não vai nesse momento aliviar isso. As características são muito nítidas de execução, a gente quer isso apurado de qualquer maneira apurado o mais rápido possível. Não é por cada um de nós, é pelo Rio de Janeiro. Isso é completamente inadmissível, uma pessoa cheia de vida, cheia de gás, uma pessoa fundamental para o Rio de Janeiro, brutalmente assassinada”.

  • Marcelo Crivella, prefeito do Rio (PRB)

“É com profundo pesar que lamentamos o brutal assassinato da vereadora Marielle Franco cuja honradez, bravura e espírito público representavam com grandeza inigualável as virtudes da mulher carioca. Sua trajetória exemplar de superação continuará a brilhar como uma estrela de esperança para todos que, inconformados, lutam por um Rio culto, poderoso, rico, mas, sobretudo, justo e humano. Em cada lar uma prece, em cada olhar uma lágrima e em cada coração um voto de tristeza, dor e saudade. É assim que hoje anoitece a cidade desolada e amargurada pela perda de sua filha inesquecível e inigualável. Que Deus a tenha!”

  • Governo Federal (Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República)

“O governo federal acompanhará toda a apuração do assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista que a acompanhava na noite desta quarta-feira, no Rio de Janeiro. O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, falou com o interventor federal no estado, general Walter Braga Netto, e colocou a Polícia Federal à disposição para auxiliar em toda investigação.”

  • Luiz Fernando Pezão – Governador do Estado do Rio de Janeiro (MDB)

“Lamento profundamente esse ato de extrema covardia contra a vereadora Marielle Franco, uma mulher admirável, guerreira e atuante, de liderança inequívoca, que tanto lutou contra as desigualdades e violência da qual acabou sendo vítima. Solidarizo-me com familiares e amigos, e acompanho, com as forças federais e integradas de Segurança, a apuração dos fatos para a punição dos autores desse crime hediondo que tanto nos entristece. “

  • Deputado estadual Wanderson Nogueira (PSOL)

“A gente está muito abalado, assustado, surpreso. Saí agora da Alerj e soube da notícia (da morte da Marielle). O (Marcelo) Freixo foi o primeiro a ir para lá. Não tem como falar (sobre execução), seria especulação, mas é claro que o sentimento é esse. Mas é cedo para falar. A Marielle sempre foi muito combativa, trabalhou nos direitos humanos com o Freixo e sempre deu voz às pessoas atacadas pelas forças”.

  • Deputado estadual Luiz Paulo (PSDB)

“Vereadora combativa, humana, partícipe de todas as lutas populares. Inaceitável tal crime brutal”.

  • Deputada Estadual Zeidan (PT)

“Estamos perplexos, chocados e tristes com essa notícia. As circunstâncias da morte ainda não foram esclarecidas. No domingo, Marielle também denunciou uma ação de PMs do 41º BPM na Favela de Acari. Moradores reclamaram da truculência dos policiais.Marielle era uma jovem brilhante, promissora liderança de esquerda e liderança feminista.Vai fazer muita falta na Câmara de Vereadores e na política, num momento tão difícil. Lamentamos pela morte dela e do seu motorista. Nosso mandato está de luto”.

  • PSOL nacional

“O Partido Socialismo e Liberdade vem a público manifestar seu pesar diante do assassinato da vereadora Marielle Franco. Estamos ao lado dos familiares, amigos, assessores e dirigentes partidários do PSOL/RJ nesse momento de dor e indignação. A atuação de Marielle como vereadora e ativista dos direitos humanos orgulha toda a militância do PSOL e será honrada na continuidade de sua luta. Exigimos apuração imediata e rigorosa desse crime hediondo. Não nos calaremos!”

“Amanhã, às 11h, na Câmara dos Deputados, o PSOL na Câmara realiza um ato em memória e solidariedade ao motorista Anderson Pedro Gomes e à vereadora do PSOL/RJ, Marielle Franco, brutalmente assassinados nesta quarta-feira”

  • OAB-RJ

“Assim que tomou conhecimento do bárbaro assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL), ocorrido na noite desta quarta, no bairro do Estácio, região central do Rio, o presidente da OAB/RJ, Felipe Santa Cruz, entrou em contato com a Chefia de Polícia para cobrar uma imediata e rigorosa apuração do crime. “A OAB/RJ não vai descansar enquanto os culpados não forem devidamente punidos. Os tiros contra uma parlamentar eleita e em pleno cumprimento do mandato atingem o próprio Estado democrático de Direito”, afirmou Felipe.

Marielle foi a quinta vereadora mais votada nas eleições de 2016 (46.502 votos). Nascida no Complexo da Maré, era socióloga, com mestrado em Administração Pública pela Universidade Federal Fluminense (UFF), tendo feito sua dissertação sobre o funcionamento das Unidades de Polícia Pacificadoras (UPPs) nas favelas. Trabalhou em organizações da sociedade civil como a Brasil Foundation e o Centro de Ações Solidárias da Maré (Ceasm). Também coordenou a Comissão de Defesa dos Direitos Humanos e Cidadania da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, ao lado do deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL). Neste primeiro mandato, Marielle era presidente da Comissão Mulher da Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro.”

  • André Ceciliano (PT), presidente em exercício da Alerj

“Temos que exigir uma apuração séria, pode ter sido uma execução. Lamento profundamente o ocorrido. O momento é triste e peço para que se possa apurar o mais rápido possível para desvendar. A violência não poupa ninguém, infelizmente. Foi um crime muito, muito estranho. Infelizmente, a gente perde uma pessoa combativa, de luta, com um futuro brilhante na política”.

  • Camila Pitanga (atriz)

https://www.instagram.com/p/BgU8z5DDUlo/?utm_source=ig_embed

Fonte: G1
Mateus Ribeiro
Mateus Ribeirohttps://www.infonewss.com
Cofundador do Portal Info Newss. Formado em Ciências Contábeis, pela Faculdade FACISA (Faculdade de Ciências Humanas e Sociais de Araripina), Técnico em Informática formado pelo Instituto EAD.
Veja também
Notícias relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui