31.4 C
Picos

Vai usar PIX na Black Friday? Veja como evitar golpes e dor de cabeça

#

PIX, sistema de pagamentos instantâneos que se consolidou como o meio de pagamento mais utilizado pelos brasileiros, deve ser bastante usado na Black Friday, principalmente porque o varejo tem dado bons descontos nas compras para quem faz a transferência bancária instantânea, além da facilidade e rapidez na compra.

Mesmo que os pagamentos via PIX tenham menor chance de fraude, já que o cliente não fornece dados bancários para o pagamento, ainda assim, é preciso alguns cuidados.

Desconfie sempre

Os golpes que usam PIX têm se tornado cada vez mais sofisticados – por isso, é importante a conferência de todas as informações. Cuidado com links que chegam de desconhecidos por meio de redes sociais, WhatsApp, e-mail ou SMS pedindo cadastro ou oferecendo brindes e descontos. Desconfie das promoções que parecem boas demais para ser verdade.

“UMA DAS FORMAS MAIS UTILIZADAS PELOS GOLPISTAS, ATUALMENTE, É O CHAMADO PHISHING, OU PESCARIA DIGITAL. ATRAVÉS DE LINKS QUE LEVAM A UMA PÁGINA FALSA NA INTERNET, COMUMENTE MUITO PARECIDA COM A DE UMA LOJA CONHECIDA OU ATÉ MESMO UM BANCO, CRIMINOSOS ROUBAM SENHAS E DADOS PESSOAIS DOS CONSUMIDORES PARA REALIZAÇÃO DE COMPRAS E TRANSFERÊNCIAS ELETRÔNICAS”, EXPLICA ANDREW MARTINEZ, CEO DA EMPRESA DE CIBERSEGURANÇA HACKERSEC.

Outro ponto crucial é checar a reputação das lojas online, em sites como do Reclame Aqui ou no Consumidor.gov.br, antes de fechar a compra. Por meio deles, é possível verificar a opinião de outros clientes e o nível de satisfação da loja.

Não pague fora da plataforma de e-commerce

Caso esteja comprando em uma loja online ou marketplace, é importante que a compra seja finalizada no mesmo lugar, seja no site ou aplicativo. Assim, há garantia de ressarcimento caso a encomenda não chegue. Se o vendedor pedir para finalizar a transação em outro ambiente ou para transferir o dinheiro, desconfie.

“O PIX AJUDOU A MELHORAR NOSSA EXPERIÊNCIA NA HORA DA COMPRA, PRINCIPALMENTE ONLINE. EM CONTRAPARTIDA, A FACILIDADE TAMBÉM CHEGA AOS FRAUDADORES, QUE AGORA TÊM MAIS UMA FERRAMENTA PARA ALIMENTAR SEUS ESQUEMAS FRAUDULENTOS. POR ISSO, É PRECISO ESTAR SEMPRE ATENTO” EXPLICA RALF GERMER, CEO DA FINTECH DE PAGAMENTOS EM E-COMMERCE PAGBRASIL.

Coloque um limite para suas transações

Mesmo que haja a intenção de fazer alguma transação de alto valor, é preciso estabelecer um limite para transferência por PIX.

Alberto André, CEO da fintech Plusdin, recomenda não ter um limite alto de transferências por PIX. Se o valor a ser transferido for mais alto que o limite, a dica é negociar para fazer duas transferências.

“É PRECISO AINDA FICAR ATENTO AOS DADOS DE QUEM VAI RECEBER A TRANSFERÊNCIA ANTES DE CONFIRMAR A TRANSAÇÃO. ASSIM, EVITA CAIR EM GOLPES QUE PEDEM DINHEIRO COM O NOME DE UMA PESSOA, MAS USAM A CONTA BANCÁRIA COM DADOS DIFERENTES”, ALERTA.

A definição de novos limites para pagamentos pode ser feita pelo próprio cliente diretamente no aplicativo do banco. De acordo com o Banco Central do Brasil, os pedidos de redução têm efeitos imediatos e os pedidos de aumento só são considerados após um prazo de 24 horas.

Veja, abaixo, o passo a passo para mudança dos limites em sua conta PIX:

  • Faça o login no aplicativo de seu banco;
  • Clique na opção “PIX”;
  • Toque em “Meus Limites”. O app vai mostrar seu limite diário atual. Para mudar os valores, clique nas opções “Gerenciar meus limites”, “Personalizar Limites PIX” ou “Alterar meus limites”, dependendo de qual seja a instituição bancária, para definir um novo valor;
  • Confirme a operação.

Em alguns bancos, como é o caso do Banco do Brasil, o app vai alertar que, caso você precise aumentar o limite, uma confirmação deve ser feita no internet banking ou caixa eletrônico.

Não faça transferências em redes públicas de wi-fi

Economizar o pacote de dados móveis através de redes públicas é uma facilidade encontrada em diversos estabelecimentos e locais públicos. No entanto, essa economia pode sair bem cara.

Conectar-se a um wi-fi de uso coletivo faz com que o usuário se exponha de forma perigosa, e fazer determinadas transações aumenta ainda mais a exposição, como por exemplo, acessar a conta bancária.

“PARA TER SEMPRE OS DADOS PROTEGIDOS, O IDEAL É USAR O APLICATIVO DO BANCO COM O PRÓPRIO PACOTE DE DADOS OU UMA REDE DE WI-FI DE USO PRIVADO”, RECOMENDA EDUARDO TARDELLI, CEO DA UPLEXIS, EMPRESA ESPECIALIZADA EM MINERAÇÃO DE DADOS.

Cuidado com QR codes falsos

O QR code é uma ferramenta que agiliza a compra: nele, já estão disponíveis o destino da transação e o valor do pagamento. Apesar de reduzir em alguns segundos o processo de pagamento, é preciso certificar-se de que o valor está correto, bem como o destino do pagamento, antes de concluir a operação.

Paulo Castro, CEO e cofundador do Contbank, fintech especializada em produtos para PMEs, alerta que algumas pessoas aumentam o valor ou usam o QR code para direcionar o consumidor para uma conta falsa.

Fonte: G1

Redação
Redaçãohttps://www.infonewss.com
Redação do Portal Info Newss. (89) 99463-3489
Veja também
Notícias relacionadas