18.5 C
Picos

TJ do Piauí decide nesta segunda (23) se passará a atender em dois turnos

#

O Tribunal de Justiça do Estado do Piauí apreciará, em sua sessão extraordinária administrativa na próxima segunda-feira, 23 de abril, o projeto de Resolução com proposta de revogação da Lei nº 6.543, que estabelece o horário regular de funcionamento do Poder Judiciário piauiense. A resolução busca ampliar o atendimento ao público, do atual modelo, em um único turno de trabalho, das 07 às 14 horas, para o funcionamento em dois turnos, ou seja, das 08h às 18h.

A prestação jurisdicional no Estado do Piauí sempre enfrentou desafios crônicos, como falta de estrutura física, equipamentos, pessoal e, principalmente, um horário reduzido, que encurtava a vida de todas as pessoas que batiam à porta da Justiça. As últimas gestões do TJPI, entretanto, diante do desafio de transformar o Poder Judiciário piauiense, foram corajosas em enfrentar gargalos históricos que dificultavam o avanço do serviço judicial, como a construção de fóruns para boa parte das comarcas e a modernização do parque tecnológico, que possibilitou melhorar a rotina de trabalho dos servidores.

O atual Presidente do TJPI, Desembargador Erivan Lopes, e o Corregedor-Geral da Justiça, Desembargador Ricardo Gentil, modernizaram o acesso à Justiça com a implantação de sistemas de informática e a possibilidade de peticionamento 24 horas. Além disso, o Presidente Erivan Lopes nomeou juízes para todas as comarcas do Piauí e deu continuidade à estruturação física e à aquisição de novos equipamentos para o exercício do trabalho dos servidores, transformando a porta de entrada ao Poder Judiciário e beneficiando, diretamente, o cidadão.

Entretanto, as mudanças precisam ser mais profundas e a atual composição do Tribunal, em iniciativa modernizadora, pretende ampliar o funcionamento da Justiça piauiense, seguindo o modelo já adotado em quase todos os Estados da federação. Atualmente, no Piauí, todo o potencial dos fóruns, equipamentos e servidores está reduzido à sua metade. A aprovação da resolução, portanto, atenderá aos conceitos gerenciais de uma administração eficiente, conforme preconiza o Conselho Nacional de Justiça.

Entendemos que a caminhada precisa ainda atender outras necessidades, como melhores condições de trabalho aos servidores, gratificações de produtividade e aumento do efetivo. Todavia, as demandas dos servidores não podem servir de obstáculos à implantação dos dois turnos.

Neste passo, atitudes contrárias à aprovação da medida demonstram um apego à crença de que os servidores são um fim em si mesmo, e não uma ferramenta de efetivação da Justiça. É inadmissível pensar que servidores públicos, que gozam de estabilidade e segurança, não se compadeçam de pessoas que precisam de um Poder Judiciário mais célere. Assim, ações que visem impedir a implantação dos dois turnos na Justiça piauiense devem ser repudiadas por toda a sociedade e advocacia piauiense.

Na segunda-feira (23), o Tribunal de Justiça, se aprovar a mencionada Resolução, marcará a sua história definitivamente e dará um grande passo para elevar seus níveis de produtividade. Deste modo, os anseios da advocacia e da sociedade, por uma Justiça plena e integral, serão atendidos.

Fonte: OAB-PI

Humberto Júnior
Humberto Júniorhttps://www.1bertojunior.com
Amante da tecnologia, desafiador e cofundador do Portal Info Newss.
Veja também
Notícias relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui