Slider
quinta-feira , 19 setembro 2019
Slider
Casa / Tecnologia / Compras por aplicativos e redes sociais crescem 61% entre os internautas

Compras por aplicativos e redes sociais crescem 61% entre os internautas

Slider

As redes sociais e os aplicativos possibilitam realizar a famosa pesquisa de preço sem sair de casa, basta apenas ter um smartphone e de qualquer lugar a compra pode ser realizada. Esse novo nicho do mercado vem crescendo e atraindo cada vez mais adeptos, como afirma uma pesquisa divulgada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) em parceria com o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). O levantamento aponta que, nos últimos 12 meses, pelo menos 61% dos internautas comparam algum produto usando aplicativos de lojas.

A jovem Isabela Leite faz parte dessa estatística e relata que a motivação para comprar por esses meios é a praticidade, pois não tem muito tempo durante o dia, já que trabalha e estuda e os seus horários não coincidem com o comercial.

“Eu compro de tudo pela internet. Baixo os aplicativos das lojas, que servem como catálogos, e compro desde geladeira, máquina de lavar, tv, notebook, roupas, sapatos, livros, lingerie, produtos de higiene pessoal, perfume, brinquedos e roupas para os meus cachorros. Às vezes, compensa mais comprar pelo site, mesmo com frete, do que aqui em Teresina, onde os produtos são muito caros ou nem tem”, diz Isabela.

Outro dado importante é que as compras feitas pelo WhatsApp são consideradas por 40% dos entrevistados como mais fáceis e rápidas, se comparadas às compras em lojas físicas e por telefone. E pelos menos 35% aprovam essa transação, pois têm a possibilidade de acessar outras informações sobre o fornecedor; já 26% contam que gostam de receber imagens e vídeos sobre os produtos e serviços.

A comerciante Raylane Freitas, por exemplo, possui uma loja de artigos variados. Ela começou a trabalhar como sacoleira juntamente com o marido e, após pesquisas na internet, descobriu a possibilidade de comprar produtos pelas redes sociais. “Em 2017, comecei a procurar grupos de fornecedores e acompanhar as lojas para ver as referências. E, para mim, facilita muito por não precisar se descolar e por ser um modo mais prático para pesquisa de preço”, conta.

Para Raylane, os benefícios de comprar e revender pelas redes sociais são inúmeros, pois mesmo atualmente possuindo a loja física, a maioria das suas vendas continua pelo WhatsApp e Instagram. “Antes de efetuar alguma compra, procuro acompanhar por um tempo as redes sociais do fornecedor, para me resguardar de golpes. Mas comprar pelas redes sociais é muito vantajoso, pois você não tem gastos e consegue atingir mais público, de diversos lugares para vender”, descreve Raylane Freitas.

Alerta

Por outro lado, o economista Ricardo Alaggio alerta para os cuidados ao comprar através de apps e redes sociais, pois dentre os varejistas podem haver pessoas de má fé. “É importante saber se o lojista é confiável, procurar formas de manter contato, pesquisar as mídias sociais, a experiência de outros compradores, e verificar a confiabilidade para cuidar bem do seu dinheiro”, expõe.

Fonte: Portal O Dia

Sobre Arienne Macedo

Arienne Macedo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *