segunda-feira, 20 setembro 2021
Últimas
Casa / Destaques / Mãe semianalfabeta se emociona ao saber que filha que andou de ‘pau de arara’ para estudar fará mestrado na Fiocruz

Mãe semianalfabeta se emociona ao saber que filha que andou de ‘pau de arara’ para estudar fará mestrado na Fiocruz

“Valha, meu Deus… Tu vai me abandonar?”, foi a primeira pergunta que a ex-lavradora Luíza Cristina Alencar fez à filha Ramila Alencar quando descobriu que a jovem iria cursar o mestrado em saúde pública da Fiocruz, no Rio de Janeiro, a cerca de 2 mil km de casa. Em vídeo (veja acima), a jovem registrou o momento em que contou à mãe sobre a conquista.

A pergunta da mãe não foi à toa, as duas superaram juntas, dependendo uma da outra, muitos obstáculos vivendo na zona rural de Pio IX, cidade de menos de 20 mil habitantes e distante 400 km de Teresina.

Ramila Alencar superou dificuldades morando no interior do Piauí para conquistar sonhos através do estudo — Foto: Arquivo pessoal

Ramila Alencar superou dificuldades morando no interior do Piauí para conquistar sonhos através do estudo — Foto: Arquivo pessoal

Dentre os desafios para chegar ao mestrado, Ramila teve, por exemplo, que percorrer quase 50 km por dia em um “pau de arara” para poder concluir o ensino médio, com o sonho de um dia ser pesquisadora na área da saúde pública.

“Ela [mãe de Ramila] dizia, eu lembro, ‘eu não tenho tal emprego, não sou gente, porque eu não estudei’. Então ela me incentivava. Mesmo na falta de instrução, com o pouco que ela tinha, ela quis me dar essa lição”, conta Ramila.

Pai assassinado aos 6 anos

Pai de Ramila foi assassinado quando a jovem tinha apenas seis anos — Foto: Arquivo pessoal

Pai de Ramila foi assassinado quando a jovem tinha apenas seis anos — Foto: Arquivo pessoal

As dificuldades começaram quando ela tinha seis anos e o pai foi assassinado. A mãe então precisou cuidar da menina sozinha com os recursos que conseguia, trabalhando como lavradora.

O incentivo sempre foi o da leitura, do estudo, dedicação e disciplina, ensinando à filha que apenas a educação poderia mudar a realidade em que viviam.

Durante o ensino infantil e fundamental, a jovem conseguiu estudar em uma escola da comunidade rural São Bento, perto de casa, mas durante o ensino médio teve que se matricular em uma escola que ficava a 50 km de casa.

‘Pau de arara’ para concluir o ensino médio

Mãe conta um pouco da história da filha que fará mestrado na Fiocruz

00:00/01:53

Mãe conta um pouco da história da filha que fará mestrado na Fiocruz

Sem conseguir se manter morando próximo à escola no início, ela percorria todos os dias o trajeto em um “pau de arara” – picapes que transportam pessoas na carroceria, o que gera riscos aos passageiros e ato considerado infração grave pelo Código de Trânsito Brasileiro.

Ramila morava em uma comunidade da Zona Rural de Pio IX — Foto: Arquivo pessoal

Ramila morava em uma comunidade da Zona Rural de Pio IX — Foto: Arquivo pessoal

“Saía 11h da manhã e voltava 20h, às vezes com fome, mas tudo pra concluir o ensino médio. Ia naquele carro só com capota, pegando sol, chuva, lama, e colocando até a vida em risco para conseguir estudar”, contou.

Depois, as duas tiveram que ir morar na zona urbana da cidade e a mãe passou a trabalhar como doméstica. A jovem também trabalhou como babá enquanto estudava, nesse período, para ajudar nas despesas de casa e custear cursinhos para o Enem.

Fonte: G1 Piauí

Sobre Márcio Lopes

Colaborador do Portal Info Newss.

Verifique também

Piauí não registra morte por Covid-19 nas últimas 24 horas e tem somente 20 novos casos da doença

O Piauí voltou a não registrar mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, segundo o …