sexta-feira, 23 julho 2021
Casa / Saúde / “Fundamental Para A Prevenção Das Novas Variantes”, Alerta Médico Sobre Vacinação

“Fundamental Para A Prevenção Das Novas Variantes”, Alerta Médico Sobre Vacinação

O médico infectologista Carlos Henrique Nery Costa alerta que cada pessoa vacinada é uma pessoa protegida contra o novo coronavírus. O especialista ressalta que existe não só a necessidade de proteger a população, mas de protegê-la rapidamente “para que a gente possa sonhar com a imunidade de grupo” e a Covid-19 fique mais estável. Carlos Henrique também defende, diante da gravidade da pandemia, o uso da vacina Sputinik V para avançar com a vacinação no país. Atualmente, o Brasil só possui duas vacinas: CoronaVac e AstraZeneca, mas a produção, no momento, não consegue atender a demanda.

Para o médico, “a vacina é uma absoluta emergência e prioridade para o controle da Covid e para se prevenir mortes por essa doença”.  “Além disso, dessa vacinação massiva e rápida, ela é fundamental para a prevenção das novas variantes, que podem ser muito perigosas”, diz. O Brasil, a Índia e a Inglaterra já registram novas cepas.

Sputinik V

Em uma interpretação pessoal, o médico comenta que há um “exagero da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária)” sobre a vacina russa Sputnik V. “A vacina está sendo usada largamente em países como o México e a Argentina, inclusive com entidades regulatórias, com resultados excelentes de segurança e de eficácia”.

A diretoria colegiada da Anvisa aprovou a importação das vacinas Sputnik V e Covaxin em caráter excepcional, mas também estabeleceu uma série de limitações para o uso desses imunizantes contra a covid-19 no Brasil. Entre os critérios, o órgão regulador só autorizou aplicar doses em adultos, de 18 a 60 anos, sem comorbidade e ainda não vacinados, determinou monitoramento dos resultados e restringiu o público-alvo a no máximo 1% da população neste momento, segundo o Estadão Conteúdo.

“Diante da gravidade da pandemia, diante da experiência do México e da Argentina, a vacina deveria ter sido usada plenamente já para uso no Brasil com a quantidade recomendada pelos governadores, de quase 40 milhões de doses, para ser distribuída para todo o país, com todos os critérios. Mas 1 milhão de doses na gravidade da crise no Brasil, é muito pouco na minha opinião”.

“Nós temos que ressaltar a iniciativa dos governadores do Nordeste. De tenta adquirir mais uma vacina, de passar das restrições que sofreram as vacinas CoronaVac e AstraZeneca pela incapacidade de produção na escala necessária no país e por uma série de problemas que estamos acompanhando na CPI (Covid)”.

Carlienne Carpaso
carliene@cidadeverde.com

Sobre Márcio Lopes

Colaborador do Portal Info Newss.

Verifique também

Anvisa autoriza estudo clínico com 3ª dose da vacina AstraZeneca

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) autorizou, nesta segunda-feira (19), estudos clínicos da aplicação …