21.8 C
Picos

Autoridades federais do Piauí fazem ato contra distorções salariais; Veja

#

Juízes Federais, Procuradores da República e do Trabalho e Juízes do Trabalho fazem protesto nesta quinta-feira (15) no prédio da Justiça Federal do Piauí, em defesa das carreiras públicas federais. O ato acontece com o grupo reunido no 2º andar da Seção Judiciária do Piauí. Não foi informada a quantidade de participantes no ato. Os juízes informaram que apenas serviços de urgência são realizados.

Segundo a juíza federal Marina Cavalcanti, presidente da Associação dos juízes federais do Piauí (Ajufepi), o ato faz parte da mobilização nacional pela independência e pelas garantias constitucionais das carreiras, pela defesa da verdade, da isonomia e da dignidade remuneratória. Entre os pedidos está a manutenção do auxílio-moradia para a categoria, com valores de até R$ 4,3 mil mensais.

“Hoje a nossa luta é pra despertar a sociedade para refletir sobre campanhas contra a magistratura federal e o MPF. Porque essas carreiras afetam pessoas que se acham inatingíveis e que nunca responderiam pelos seus atos e agora estão respondendo. São ações contra a independência do juiz e temos que agir, sob pena de não punir quem desvia dinheiro público, sejam ricos ou pobres”, declarou.

Segundo ela, o Supremo Tribunal Federal julgará no próximo dia 22 diversos processos que tratam da remuneração dos servidores públicos. As categorias em atos pelo país nesta quinta (15) pedem que se exterminem as distorções salariais.

“Um sistema remuneratório sem racionalidade joga as carreiras independentes aos leões. Enfraquecer a Magistratura e o Ministério Público só interessa aos donos do poder, que não querem carreiras independentes, mas sim profissionais sujeitos à cooptação”, disse a magistrada.

Fonte: G1

Mateus Ribeiro
Mateus Ribeirohttps://www.infonewss.com
Cofundador do Portal Info Newss. Formado em Ciências Contábeis, pela Faculdade FACISA (Faculdade de Ciências Humanas e Sociais de Araripina), Técnico em Informática formado pelo Instituto EAD.
Veja também
Notícias relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui